A base metodológica utilizada neste trabalho consistiu na associação de diversas técnicas de geoprocessamento, tais como sensoriamento remoto e sistema de informações geográficas – SIG.

Em face da heterogeneidade dos dados e informações obtidas e manipuladas no presente trabalho e devido ainda, a utilização de diferentes métodos de análise, os mesmos serão apresentados separadamente por tema desenvolvido.
A base cartográfica digital utilizada denomina-se GEOLOG (geocodificação de logradouros), elaborado a partir do Mapa Oficial da Cidade/MOC, desenvolvido pela Secretaria de Finanças através da ampliação, para a escala 1:5.000, do mapa produzido pelo Grupo Executivo da Grande São Paulo (GEGRAN), em escala 1:10.000, proveniente pela restituição do aerolevantamento de 1972.

Os resultados obtidos durante o desenvolvimento dos trabalhos divididos por temas, resultaram basicamente três tipos de produtos: 18 mapas em escala regional, de semidetalhe e detalhe (1:100.000, 1:75:000, 1:40.000 e 1:15.000), textos explicativos e bancos de dados digitais (fauna e flora, clima urbano, perfil socioeconômico e uso do solo), os quais estão sendo disponibilizados para o Atlas Ambiental do Estado de São Paulo, do Programa BIOTA.

Todos os dados utilizados foram registrados para o sistema de coordenadas UTM (MC 45W, fuso 23S, Datum Córrego Alegre) de forma a constituírem uma base compatível e facilitar a interpretação visual de dados da imagem com base nas referências espaciais das demais bases de dados.

Para efeito da sua disponibilidade neste meio, foram os citados mapas adequados para as escalas mencionadas nos links dos respectivos temas, bem como na página do índice de mapas.